Ela teve que escolher entre viver ou dar a luz, decidiu morrer.

Elizabeth Joice teve de escolher entre interromper a gravidez para fazer tratamento contra o câncer, ou colocar sua vida em risco e seguir com a gestação de seu bebê. Ela morreu, sacrificou a própria vida para dar luz à filha, levou a gestação de seu bebê à diante.

Em setembro de 2010, Elizabeth Joice foi diagnosticada com câncer. No mesmo dia, seu marido Max a pediu em casamento e o casal decidiu lutar contra a doença. Por três anos, Elizabeth foi declarada livre do câncer, e, apesar de os médicos afirmarem que ela nunca ficaria grávida, para surpresa de todos, em 2013 a gravidez aconteceu, mas, um mês depois, o casal recebeu a notícia de que o tumor havia voltado.



Como estava grávida, Elizabeth não poderia passar por exames de ressonância magnética de corpo inteiro. Dessa maneira, seu oncologista não podia verificar se o tumor estava crescendo. O nascimento do bebê era esperado para o dia 4 de março, mas os médicos não podiam esperar tanto, em função das condições de saúde da mãe. Em janeiro, o cirurgião realizou uma cesárea para o nascimento de Lily.

Dias depois, a saúde de Elizabeth piorou e ela veio a falecer no dia 9 de março.


Belo exemplo! Enquanto algumas abortam seus filhos, ela deu sua própria vida pelo dela.
Essa mãe merece todas curtidas, todos os aplausos e merece e terá o meu respeito, enquanto muitos no mundo desejam a legalização do aborto ela deu a própria vida pra permitir que sua filha viesse ao mundo.