Homem assalta ônibus e faz passageira de reféns no Rio

Homem mantém reféns em ônibus na Avenida Brasil, no Rio. Um homem sobre efeito de crack teria tentado assaltar os passageiros quando o ônibus foi interceptado, ao perceber que estava cercado fez uma mulher de refém. O ônibus, que fazia a linha Mariópolis-Cascadura foi parado próximo ao shopping de Guadalupe,  na Avenida Brasil. O Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) está no local e tenta negociar a liberação da passageira.

sequestro de onibus no rio de janeiro

Atualização: Após quase três horas de negociação, sequestrador se entrega e reféns são liberados sem ferimentos.

A torcida de todos foi para que o final não lembrasse em nada o conhecido Sequestro do ônibus 174:

No dia 12 de junho de 2000, às 14h20, Sandro do Nascimento, entrou no ônibus 174, armado. A polícia logo cercou o ônibus na Rua Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio. Sandro manteve dez reféns dentro do ônibus. Atirou contra policiais, exigiu armas e um motorista para fugir. O sequestrador simulou matar uma estudante. Apontou a arma para uma passageira durante duas horas e fazia ameaças : "delegado, já morreu uma, vai morrer outra". Depois de quatro horas e meia de tensão, Sandro do Nascimento desceu do ônibus, usando como escudo uma passageira, a professora Geisa Gonçalves. Um soldado atirou porém os tiros atingiram apenas a professora, que morreu. Dominado por policiais, Sandro do Nascimento foi levado para um carro da PM. Chegou morto ao hospital. Segundo a perícia, ele foi asfixiado. Em 2002, três PMs foram absolvidos da acusação de matar o sequestrador. A tragédia do 174 virou documentário e teve repercussão internacional. O filme lembrava que Sandro do Nascimento tinha sobrevivido à chacina da Candelária. Na chacina, no dia 23 de julho de 1993, 8 menores de rua foram assassinados.  Seis policiais militares foram julgados pelas mortes. Três foram condenados e três, absolvidos. O ônibus 174 fazia a linha Gávea-Central, e tinha saído do ponto final, próximo à Favela da Rocinha.