Cláudia Rodrigues comemora recuperação e conta como foi encontrar com a morte

Cláudia Rodrigues comemora recuperação e conta como foi encontrar com a morte. Depois de quase morrer por duas vezes, ela está curada. Em meio aos brinquedos do playground do prédio em que mora, no Rio, Cláudia Rodrigues poderia facilmente ser confundida com uma criança. Não apenas pela baixa estatura, mas por esbanjar felicidade. Afinal, a humorista que fez – e faz – o Brasil gargalhar com personagens como a Marinete, da série A Diarista,  da Globo, está pertinho de anunciar que venceu a guerra contra a esclerose múltipla. Em 2000, após sentir um braço dormente, a atriz se descobriu portadora da doença degenerativa que afeta o sistema nervoso central.

Hoje, 16 anos depois, Cláudia, de 44, trava sua batalha final rumo à cura. Em janeiro, ela se submeteu a um tratamento com células-tronco no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. E fez um transplante de medula. Agora, três meses após o procedimento, vive uma rotina bem mais próxima do normal ao lado da amada filha, Isa Hieatt, de 13 anos, da união com Brent Hieatt. “Só não esperem me ver dando estrelinhas (piruetas) ainda”, brinca ela, que usa andador para se locomover com mais facilidade.



Sempre com extremo bom humor, Cláudia se recupera a toque de caixa. Ela surpreendeu os médicos ao mostrar, em tempo recorde, sinais significativos de que a doença, finalmente, está indo embora. “Pouco tempo depois do transplante, já estava fazendo piada e divertindo os enfermeiros”, relata, orgulhosa de si.

A jornada, no entanto, não foi fácil. Cláudia enfrentou a morte duas vezes – uma durante um surto da doença em 2015, quando precisou ser reanimada – e em uma crise de  depressão. No auge, chegou a pensar em suicídio, a exemplo do irmão, Márcio Rodrigues, falecido em 1991. Mas tudo foi superado, também em nome da fé (veja boxe a seguir). Em breve, para alegria geral, a comediante voltará à TV no humorístico Domésticas, disputado por três emissoras. Antes, em maio, estreará um programa na internet, resgatando antigas personagens, como Sirene (Sai de Baixo), Ofélia e Talia (Zorra Total) e a inédita radialista Sônia. ...